CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Gramática Moderna da Língua Portuguesa
Língua viva é a que renasce continuamente tal fênix linguística!
Textos


                                                         DISSERTAÇÃO 

     Dissertação é exposição de idéias, a análise crítica de um determinado tema. Sempre que opinamos, discutimos, debatemos o que nos foi proposto, estamos dissertando. 
     
     A linguagem, no texto escrito, deve ser culta e sua estrutura coesa, e as idéias devem ser articuladas de maneira clara e lógica a fim de valorizar o conteúdo a ser transmitido. Entretanto é imprescindível a leitura. A leitura crítica, intertextual, além do que os olhos veiculam, deve ser exercitada sempre, de modo a entender a mensagem além da mensagem. A dissertação divide-se em três componentes significativos: introdução, desenvolvimento e conclusão. 
     
     A introdução deve apresentar o tema, a tese e seus dois ou três argumentos. O desenvolvimento é a defesa da tese, onde são apresentadas as evidências, as justificativas, enfim, a explicitação dos argumentos que darão sustentação às idéias apresentadas no parágrafo introdutório. Na conclusão retoma-se a tese, faz-se uma síntese das idéias ou propõe-se solução para o problema apresentado.
 

                                            OBSERVAÇÃO
A tese – idéia central – embora normalmente ocorra no primeiro parágrafo, pode aparecer em outro componente significativo do texto, mas isso requer treinamento.

                              EXEMPLO DE DISSERTAÇÃO

                                   O complexo cultural
Introdução
Tese - O Complexo Cultural – causa e efeito 

     O complexo colonial, no qual se configurou o homem brasileiro durante mais de quatro séculos, implicava a impossibilidade de tomarmos consciência de nós mesmos.

Desenvolvimento – argumento 1
1 - Causas do Complexo
 
     
     Se remontarmos a nossa própria biografia e consultarmos o nosso estado de espírito até há pouco tempo, verificaremos que o colonialismo se manifestava em nós não só pela total dependência, mas também pelo complexo de inferioridade em relação à Europa. Se eram ingleses os sapatos e as fazendas das roupas que vestíamos, franceses eram os livros e as idéias de que nos utilizávamos.

Desenvolvimento – argumento 2
2 - Efeitos da Influência 

     Não nos víamos com os próprios olhos, mas com os olhos dos europeus. Tínhamos vergonha de nós mesmos, de nossa pobreza, da nossa cultura européia, éramos cegos e surdos em relação ao Brasil.

Conclusão
Proposta de solução para o fim do complexo 

     Para rompermos com toda essa situação de país subdesenvolvido, semicolonial, é preciso compreender que o Brasil não é exterior a nós, mas está em nós, faz parte do nosso corpo e da nossa alma. O problema da cultura brasileira é um problema nosso. Nossa existência será dependente e inautêntica, enquanto for dependente e inautêntica a existência do país. 
(Roland Corbisier, Formação da Cultura Brasileira)

Comentário
De forma conotativa, Corbisier analisa criticamente o complexo de colônia enraizado no brasileiro. Os produtos importados funcionam como os grandes vilões desse estado de dependência a que se submeteu o povo em sua formação sócio-cultural. Seu estilo expressivo traduz por meio de metáforas a perda de uma identidade própria: “Encharcados até os ossos”, “Éramos cegos e surdos”. O texto, portanto, é intensamente crítico e sucinto em seu desenvolvimento, como devem ser os textos dissertativos. 

Delimitação do tema – o esquema do rascunho
 
A qualquer candidato a autor, perguntas recorrentes não respondidas tornam-se dúvidas renitentes capazes de inibir os mais temerosos: como fazer as dissertações? Como deixar claro nosso ponto de vista? Como argumentar com coerência e profundidade? Como organizar a estrutura lógica do texto, com introdução, desenvolvimento e conclusão?
Imaginemos que o tema proposto seja “O problema das favelas nas grandes cidades”. Diante de um tema como esse, é provável que várias idéias surjam na mente:
 
- a formação das favelas;
- a violência nas favelas;
- a falta de uma política habitacional;
- a proliferação das favelas;
- a segurança da população; etc.
 
Cada tópico relacionado representa um ponto de vista segundo o qual se pode analisar o assunto. A isso se denomina delimitação do tema ou tópico frasal.
 
Delimitado o assunto, tomemos como exemplo “a formação e a proliferação das favelas”. Com base nesse ponto de vista, pode-se elaborar a seguinte tese: “O êxodo rural e o baixo poder aquisitivo da população são dois fatores desencadeadores da formação e da proliferação das favelas”. Como no parágrafo introdutório deve conter a alusão ao tema, a tese e dois ou três argumentos que serão defendidos e/ou explicitados no desenvolvimento, sua introdução seria:
               
O nascimento e a proliferação das favelas nas grandes cidades tem como causadores principais o êxodo rural e o baixo poder aquisitivo da população. A conjunção desses fatores, ao produzir e multiplicar as favelas, gera o principal obstáculo ao planejamento urbano e à segurança da população.
 
 

                                              Atenção
Pode-se notar que o parágrafo foi formado a partir de dois períodos, porém apenas um contém a idéia-núcleo elaborada pela tese: o TÓPICO FRASAL.
 
 
 


Nelson Maia Schocair
Enviado por Nelson Maia Schocair em 01/03/2007
Alterado em 13/04/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site www.professornelsonmaia.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários